quarta-feira, 8 de abril de 2009

Marketing Multinível: extra, extra, mais uma pessoa enganada.


Bem-vindos!


Eis que finalmente venço a fadiga e começo esse blog! Caso queiram saber mais detalhes sobre o propósito do "Reflexões do Cotidiano", favor ler a coluna que fica à sua direita no monitor.

Nosso primeiro post vai ser em homenagem a algo que vem me perturbando há tempos, e que tem sido divulgado maçicamente nesses últimos dias: o Marketing de Rede. Curiosa como sou, decidi pesquisar acerca do mecanismo que cerceia esse tipo dessa atividade profissonal tão propagada por diversos sites na web e que adquire cada vez mais seguidores em contrapartida de sua má fama. Amway, Herbalife, Forever Living, Produtor de Mala Direta, Amarelas Internet são só alguns dos famosos exemplos que irão ilustrar o assunto de hoje.

Vale adicionar que não estou fazendo propaganda contra, e nunca participei de nenhuma empresa de marketing multinível, embora já tivesse surgido o interesse da minha parte. E foi esse tal interesse que me moveu a pesquisar mais sobre o assunto em sites específicos. Enfim, depois do que descobri, decidi deixar essa vontade de lado, pois, afinal, vontade é algo que dá e passa. Por outro lado, achei esse mecanismo tão curioso e inteligente que decidi compartilhá-lo com vocês.

No Marketing de Rede (Network Marketing), também conhecido como Marketing Multinível (Multi Level Marketing), uma pessoa vende um determinado produto/serviço para outras, e seu lucro é oriundo da comissão das vendas. Mas como entrar nesse negócio? Entra-se neste negócio através de um convite de alguém que já trabalhe com isso. E, além de ganhar comissão pela venda dos produtos/serviços, ganha-se também por cada pessoa que você indicar ao, digamos, esquema.

Parece uma oportunidade muito atraente a primeira vista: além das comissões dos produtos, você ainda ganha comissões por cada pessoa indicada! Entretanto muitas empresas que se apresentam promovendo este tipo de atividade mascaram-se através de falsos produtos para praticar aquilo que realmente é o fruto de seus rendimentos: o esquema de pirâmide.

O sistema de pirâmide, que é proibido por lei no Brasil e em vários países, é um sistema de recrutamento de pessoas em que não existe produto. Através de tal esquema, um indivíduo busca afiliados os quais pagarão uma certa quantia para se afiliar ao sistema oferecido, geralmente mensal. E esses novos afiliados buscam indicar outras pessoas, e assim por diante. Os conhecidos que você indicar são do seu 1º nível. As pessoas que esses seus conhecidos indicar, estarão no seu 2º nível, e também proporcionarão comissões a você. O problema é que esse mecanismo não é infinito, e tende a quebrar.

Segundo o site fraudes.org, O nome "pirâmide" é oriundo do formato pelo qual pode ser esquematizado o sistema, como pode ser visto na ilustração 1-1, logo abaixo. Se o esquema prever que cada pessoa encontre 10 novos participantes e a pirâmide começar com uma pessoa no topo, teremos 10 pessoas (o que chamam de 1º nível) debaixo dela, 100 debaixo dessas 10 (2º nível), 1.000 debaixo dessas 100, e assim por diante. Entretanto, no 10º nível, a pirâmide terá mais do que a população inteira da terra.





O lucro gerado é direcionado apenas para quem criou o mecanismo e para os primeiros que ingressaram na rede. Não quero dizer que as pessoas que ingressaram mais tarde no sistema não possam ganhar nada, mas ganha-se muito pouco, isso quando não se tem prejuízos. Também é uma proeza conseguir indicar algumas pessoas, pois o sistema carece de credibilidade no nosso país.

Cases:

Albânia:

Na Albânia, por exemplo, entre 1996 e 1997, o país estava atravessando uma crise econômica. Nesta época, surgiu uma série de "fundos de investimentos" que se enquadravam no sistema piramidal. Os esquemas funcionavam a partir da promessa do pagamento de altos juros (até 50% ao mês) que se sustentaria na cooptação de novos "investidores" por parte dos existentes. Na realidade, o fluxo de novos investidores era necessário para pagar os juros prometidos aos investidores anteriores e, em algum momento, quando este fluxo de novos investidores não fosse mais suficiente, o sistema todo desmoronaria e todos perdiam tudo.

Aproximadamente 1/6 da população da Albânia aderiu a esses sistemas, esperançosos, até que tudo desabou em um ano aproximadamente. Todos perderam dinheiro, e o país literalmente quebrou, mergulhando numa crise econômica, política e social extremamente grave.

Amway:

Seguindo o site http://www.quatrocantos.com/LENDAS/56_correntes_piramides.htm, o distruidor médio da Amway ganha cerca de 700 dólares por ano em vendas, mas gasta cerca de mil dólares com produtos Amway. Sem contar com as despesas que os distribuidores têm com a manutenção do negócio como telefone, combustível, encontros motivacionais e material de propaganda.

Produtor de Mala Direta:

Uma das atividades mais divulgadas de marketing multinível é a de "Produtor de Mala Direta". O site diz que a pessoa seria remunerada apenas por responder cartas, etiquetando e envelopando malas-diretas. A pessoa trabalharia em casa podendo ganhar, se cumprir a meta mensal, R$ 1.200,00. E isso seria só o começo. Entre os prêmios por produtividade, podemos encontrar um notebook.

Para participar, a pessoa teria que desembolsar cerca de R$ 40 reais, e pagaria o resto - cerca de R$ 60,00 - assim que estivesse trabalhando. Parece justo, né? Essa quantia seria para pagar um livro que, segundo a firma, consta num treinamento e informações detalhadas sobre o serviço a ser executado. Quando chega a encomenda pelo correio, você descobre que tem que pagar um valor por volta de R$ 99,00 para entrar no sistema, que seria dividido em 3x, e duas das parcelas seriam descontadas somente quando você estivesse trabalhando. Além disso, deve-se pagar cerca de R$ 80,00 para adquirir o restante do material. Até agora, 40 + 33,33 + 80 = R$ 153,33 gastos até o momento (vale lembrar que os valores informados estão desatualizados, e faço questão de frizar que os valores são aproximados).

Então, com todo o material em casa, você descobre que o trabalho trata-se de, na verdade, fazer com que outras pessoas adquiram esse mesmo material que você comprou. Ou seja: gastar mais de R$ 150,00 por adquirir um material que não tem o custo nem de R$ 10,00. E como você faria isso? Através do envio de mala direta! Você tem que persuadir cerca de 30 pessoas por mês a adquirerem esse material (obviamente sem revelar muitos detalhes sobre o negócio) para obter a tal ajuda de custo. Daí essas pessoas vão comprar e ler o material todo, assim como você fez, descobrindo que foram iludidas e tentarão passar o prejuízo para outros.

Achei o mecanismo geniaaaaal, genial, mesmo. Mas o lucro vai quase para a empresa que vende o material. E a sua consciência, ficaria pesada ao extorquir dinheiro de pessoas que podem estar com dificuldades e apostam nessa opção como uma alternativa de conseguir o seu sustento e um teto? Será que é facil vender 30 dessas apostilas por mês com tantos sites no google de reclamações contra essa empresa? Não deve ser um caminho fácil, não.

Mais informações: http://uteiz.blogspot.com/2008/08/stc-trabalhe-em-casa-cuidado.html

Forever Living:

Já na empresa Forever Living, você paga todo mês, mas ganha os produtos para vender. O problema é que o valor dos produtos é fora da realidade para a maioria dos brasileiros. Além disso, os produtos de aloe vera quando ingeridos sem prescrição e acompanhamento médico podem fazer mal e causar até a morte. Mas não é da venda de produtos que essa empresa se sustenta, mas sim do recrutamento de mais e mais pessoas. Pelo menos o que você investe em dinheiro tem de volta em produtos, entretanto, para se manter ativo no esquema, você tem que desembolsar um valor mais alto que em outros modelos de marketing multinível. Segundo reportagem da revista Isto É Dinheiro em 2008, a empresa teve um faturamento de US$ 79,8 milhões para 516.000 distribuidores. Dividindo 79,8 milhões por 516.000, temos um “ganho” médio ANUAL, por distribuidor, de 155 dólares! Sem contar com os custos com telefone, gasolina, ônibus e outros meios que os recrutadores utilizam para convencer mais gente a ingressar no negócio.


Fontes:

http://industriadadecepcao.wordpress.com/2008/04/01/entrevista-jon-taylor/
http://www.fraudes.org/ e http://uteiz.blogspot.com/2008/08/stc-trabalhe-em-casa-cuidado.html

Descontração:

http://desciclo.pedia.ws/wiki/Forever_Living

5 comentários:

Luís Felipe disse...

Odeio esquemas de pirâmides em qualquer forma existente ou imaginável!!!!

X-SR71

Anônimo disse...

realmente voce nao sabe nada sobre marketing se vc soubesse tu ja estaria rica.
SOU DA FOREVER LIVING
se a forever é tudo isso que vc diz sera que os japoneses seriao tao burros em deixar uma empresa se fosse ruim entrar no pais deles.
me explica porque o BRASIL é o numero 1 em consumo e venda no mundo?.
sera que milhares de distruidores espalhados no mundo inclusive na TERRA SANTA seriao idiotas de entrar num negocio se fosse uma furada.
ah por favor pense antes de falar basteiras pela net.
isso so prejudica as pessoas que querem realmente crescer na vida.
agora se nao deu pra vc que pena.
pq pra milhares tem dado certo
obrigado!!

Maya . disse...

Não sou só eu quem está dizendo, isso virou até matéria de faculdade. Até a mídia fez uma brincadeira com mkt multinível num episódio de A Grande Família, que por sinal eu adorei.

Não questiono a qualidade, mas sim o uso sem acompanhamento médico. ERVA não é brincadeira. E, novamente, o que está em debate aqui é, principalmente, o marketing multinível. Já foi comprovado pelo mundo todo que o marketing multinível não funciona, cabe apenas ao povo desinformado saber. O que infelizmente não acontece e cada vez mais gente cai nesse golpe. Se não entendeu o raciocínio da pirâmide, pega o texto e lê de novo. Tem vários livros sobre o assunto, se quiser indico até a editora.

Furadas têm aí aos montes, e otários não faltam para cair nelas. Quem avisa amigo é.

O Negócio Próprio disse...

Para quem não conhece Marketing de Rede, deixo aqui A lista das 30 Maiores empresas de Marketing de Rede AQUI

Lúcio disse...

Lavagem Cerebral para fazer você comprar produtos que não vai vender,vai ficar estocado em grande parte,e blindagem à críticas taxando cegamente quem discorde de "fracassado”, retórica hipócrita e tipicamente americana. Se fosse bom o pessoal do Ermirio de Morais, o Eike Batista e outros pesos pesados da economia já teriam aderido. O barato é você recrutar pessoas que vão investir um dinheiro para entrar, dinheiro esse que em parte vem pra você. Eles dizem que a Forever exclui o atravessador por trazer os produtos direto do Arizona,mas pera lá: não são exatamente os atravessadores que encarecem o preço final de um produto ? Então me diz por que os produtos forever são tão caros se vêm direto da fábrica ? Gel dental a R$ 23,00 com "bula” em inglês e um adesivo em português por cima,sem a menor comprovação de sua eficácia, quando posso comprar um colgate 12 horas por 2,30 ? Pessoas fanáticas em reuniões usando apitos estridentes em hoteis onde eu PAGO para entrar como um convidado ,quando a empresa deveria ficar feliz pela possibilidade de, grátis, eu me transformar num distribuidor ? Aí tem coisa, e coisa suja.