sábado, 5 de dezembro de 2009

Banana aos Macacos. Welcome to the Jungle.

Nos tempos de hoje, em que a modernidade nos permite ser tão diferentes e adotar gostos tão particulares, vemos um movimento no qual as pessoas tentam se unir em torno de gostos – limitados – em comum. Vemos aglomerados de gente que compartilham entre si interesses tais como o futebol de todo domingo, a cervejinha gelada, o funk, o pagode, o carnaval, e outras drogas, as quais intitularei de “diversão de massa”. E o governo, por sua vez, aproveita-se da alienação do povo para roubar cada vez mais.

Lá em Brasília, nosso presidente, feliz e contente, junto com a sua gangue, continua a tirar dinheiro do povo, que nada faz, numa conformidade absurda. Como se estivessem tetraplégicos em cadeiras de rodas. O governo quer prover diversão para o povo, glorificando o futebol – não é a primeira vez que um presidente usa o futebol como estratégia de ganhar carisma perante o povo: manjado demais para quem não passou colando nas aulas de história do ensino médio – e outras “diversões de massa”. E vem por aí Olimpíadas, Copa do Mundo... mas alguém já pensou se nosso país tem estrutura para isso? Se nem de um apagão conseguem se dar ao trabalho de explicar o motivo, se nem a violência na prestigiada “Zona Sul do Rio de Janeiro” eles conseguem deter, imagina o caos que será isso? Como diria Regina Duarte na antiga, mas memorável propaganda política do PSDB em referência à possibilidade do Lula chegar ao poder, “Eu tenho medo!”

A última do presidente foi criar um filme narcisista em sua homenagem, santificando-o e comparando-se a todo tempo a Jesus Cristo. Não sou católica, mas ficaria muito aborrecida de ver tal analogia nas telinhas. No final de seu mandato, disfarçado de uma biografia, o filme de Lula servirá para endeusar a imagem do presidente e garantir futuros votos para o PT na próxima eleição para presidente. A personagem que Lula criou, no filme e no palanque, faz dele a imagem, semelhança e o reflexo do povão, maioria absoluta na hora da votação em nosso país desigual. O povo, idiota, identifica-se prontamente. Lula deve pensar, “se o povo quer diversão, banana para os macacos! Muito futebol e funk para todos vocês”.

Sim, essas “diversões de massa” são um reflexo do empobrecimento da cultura. Cada vez menos se vendem livros, e o que mais se vende são besteiróis vampirescos e livros de autoajuda. A venda dos livros de ficção poderia ser uma tentativa desesperada dos leitores de fugir da realidade? E os livros de autoajuda? Seria uma tentativa de ajudar a si próprios a resolver os problemas do cotidiano, já que está impregnado no brasileiro a conformidade de não lutar por seus direitos? Se as pessoas não se mexem para promover a mudança em si mesmas, não será um livro que irá fazer. Enfim, a falta de cultura reflete-se nas conversas nas rodinhas de bar. Os assuntos são superficiais, promíscuos, fúteis. Ninguém discute relações de amizade, questões políticas, as notícias do dia. Não se dão ao trabalho de raciocinar e agem como se fossem macacos amestrados de circo. Aliás, menos que isso, já que existem macacos e outros animais que conseguem pintar quadros abstratos com maestria.

A violência aumenta, e a nova geração cada vez extorque mais os pais, que se enchem de dívidas para pagar aos filhos cursos cada vez mais caros, na tentativa frustrada de fazer com que estes tenham sucesso. Assim, os pais teriam alguma coisa para se vangloriarem na frente de seus amigos a respeito de seus filhos. No entanto, sua prole mal consegue ganhar para alugar um barraquinho na favela. E parecem que não importam nem um pouco com isso. Enfim, a ideia de se mudar da casa dos pais torna-se cada vez mais distante.

Por outro lado, essas “diversões em massa” têm o seu lado positivo: unir as pessoas. Numa era onde as pessoas ficam cada vez mais “virtuais”, o que não é nada saudável, essas atividades vêm para unir as pessoas, fazê-las saírem de casa e se unirem em torno de um objetivo comum, promovendo a diversão, alegria, a união e a amizade – contudo, o quesito amizade é questionável, pois não é porque determinadas pessoas saem juntas para beber ou ver uma partida de futebol, que isso pode ser traduzido em uma amizade profunda e fiel. Na maioria das vezes, é falsidade, mesmo.

É injusto comparar o Brasil à maravilhosa França, onde os preços dos livros são bem acessíveis e boa parte da população tem como habito a leitura. Dificilmente alguém agride a gramática, pelo fato de estarem em contato constante com a comunicação escrita – acho que não preciso lembrar que estou excluindo a internet deste grupo. Lá, as pessoas vão às ruas para lutar pelos seus direitos. A democracia realmente funciona. E a cultura, as artes, são realmente valorizadas pelo governo e a população. Ah, a França... quem sabe um dia a gente não chega lá? Infelizmente, para chegar a tal nível, só de avião, mesmo.

Bem-vindos à selva! Deixo vocês embalados no ritmo do Rock, sempre contestador. A música “Welcome to the Jungle”, de Guns N’Roses, reflete bem o que foi falado até então:

5 comentários:

Silvio Koerich disse...

Belo post metendo o pau nesse palhaço do Lula.

E sim não tem que ser igual a bosta nenhuma ficar dando uma de adolescente ouvidor de bostas é coisa de otário.

Rui disse...

Que desabafo, hein
concordo com algumas coisas que vc disse, outras não
o psdb da regina nao é diferente o pt do lula, ela deve estar muito satisfeita com o governo e arrependidada do propaganda que fez
o pao e o circo estao aí, e as coisas nao vao mudar
na frança nao deve ser muito diferente, e nem deveria ser um norte a ser alcançado, prefiro muito mais o Butão rs
quanto a olimpiada e copa, eu to gostando
antes eu faria o discurso: nao tem dinheiro pra educaçã, saúde.... mas tem pra gastar com essas festas.
putz, se nao gastar nisso, eles irao roubar mesmo hahaha
melhor fazer a festa, adoro futebol
e cultura de massa, as pessoas ficam enfeitiçadas com isso e tudo, mas gosto, é como uma dança, algum espetáculo de teatro
a diferença é que as pessoas dão uma importância que nao deveria
hoje se o flamengo nao for campeao... caos no rio rs

ahhh
acho legal os livros de auto-ajuda, dá uma esperança... e concordo quando vc diz que a pessoa deve mudar a si mesma ( vc disse isso, nao disse? rs )
e por mais banais que sejam os assuntos, sempre surge um papo interessante... é raro, mas surge hahaha

legal seu ponto de vista
só falto colocar mais na cultura de massa: rock,...

e vamos pular carnaval que faz bem rs

Rui disse...

poxa
escrevi bastante
vê se aceita o comentário rs

Publicidade Esportiva disse...

Olá!

Estou aqui retribuindo sua visita e aproveitando a oportunidade pra dizer q gostei muito do formato do seu blog e da maneira como vc trata os assuntos.

São ótimos textos, continue assim que vai ser sucesso sempre!

Saiba q vai ser sempre bem-vindo ao meu blog!

Abraços

http://publicidadesportiva.blogspot.com/

E.Suruba disse...

gostei do q de política e como você conseguiu colocar isso de uma maneira leal na postagem!