quarta-feira, 11 de novembro de 2009

2012 que nada... é 2009! Culpa dos Maias.

Estava no computador, quando acabou a luz na minha casa. Aos poucos, descobri que o apagão tinha se alastrado pela Barra inteira e, através de meu precário celular e dos meus amigos, descobri que o apagão estava presente na Tijuca, Volta Redonda, Nova Iguaçu e, enfim, em outros estados e até mesmo no Paraguai.

Fiquei preocupada, e milhares de “Teorias da Conspiração” inundaram minha fértil imaginação. Comecei a crer que a luz não tinha acabado, mas sim que eu era a protagonista do “O ensaio sobre a Cegueira”, e que o mundo estava prestes a acabar. Mundo acabando... e eu pensei num filme que vai entrar em cartaz inclusive nesta sexta-feira, e que não quero deixar de ver: “2012”. O filme baseia-se no fim dos tempos, de acordo com as Profecias Maia. Pelo que li num trecho aleatório sobre essas profecias, os desastres naturais se tornariam mais frequentes e violentos, não haveria mais luz elétrica, comida, o dinheiro não mais teria valor e as pessoas aprenderiam a ajudar umas as outras, dando fim à época do materialismo. ETs viriam para a Terra, a fim de nos ajudarmos nesta transição. Pensei que essa falta de luz era obra dos ETs Maias. Como diria o Chaves, “Já chegou o disco voador”.

Não suficiente, também pensei na hipótese de terem adiado o dia da consciência negra (20 de novembro). Já a minha vizinha disse que era o Holocausto, mas acho que quis dizer que era um blackout. Lembrei também que a Madonna estava aqui, jantando com Jesus. Ora, então mentiram para mim, a Última Ceia foi ontem, na terça! “Jesus, acende a luz!”. Mas talvez o apagão seja por causa da vinda de Shimon Peres ao Brasil, já que faz 43 anos sem que um presidente de Israel pise aqui, ou ainda um prenúncio da vinda do polêmico presidente do Irã dia 23 de novembro. O governo israelense está preocupado e quer conter a infiltração do Irã na América do Sul. Muito bom Israel estar tomando alguma providência.

Perguntado incansavelmente sobre o que teria realmente acontecido, o pronunciamento de Lula foi o seguinte; “Jamanta não sabe de naaaaaaaada!”. “Jamanta não morreu!” (Para quem não lembra, Jamanta era um personagem com problemas mentais da novela “Torre de Babel”, exibida em 1998. Apesar do nome da novela remeter ao fim do mundo, o tema não era esse. No entanto, dois anos antes, a novela “O Fim do Mundo”, foi exibida pela Rede Globo.) Entretanto foi anunciado no G1 hoje que e o apagão teve origem em função de condições meteorológicas, porém as causas do apagão não foram exatamente definidas. A resposta ao que aconteceu deverá ser apresentada hoje em uma reunião marcada às 17h no Centro Nacional de Operação do Sistema Elétrico (CNOS).

Como tudo aconteceu comigo:

Estava no meu MSN, quando de repente acabou a luz. Desesperadamente, corri para desligar a tomada do computador, já que estou sem no break (ou estabilizador, como queira). No entanto, fui correndo pela varanda e vi que toda a Barra da Tijuca estava neste estado. Na verdade, não precisava nem me levantar para ver porque não faltava gritaria e barulheira aqui.

Na Barra teve desde aquelas cornetinhas de Copa do Mundo, palavrões, gritos, gemidos, frases aleatórias, nomes de times de futebol até fogos de artifício. Teve até uma mulher que gritou “É tudo culpa do Lula!”. Entrei na onda, comecei a gritar alguns palavrões também, e fui correndo ligar para amigos meus. Aos poucos, fui descobrindo que em Volta Redonda e Nova Iguaçu também não tinha mais luz, e, mais tarde, recebi a noticia de que cinco estados e até mesmo o Paraguai estavam sem luz.

No meio do breu total, tive uma “brilhante idéia”: Usar o walkman do meu celular. Eu passava as rádios, e algumas só passavam músicas, enquanto outras, como a Mix e a Transamérica, estavam fora do ar. Eu pensei que a JB estaria noticiando alguma coisa sobre o ocorrido, mas que nada! Foi a Super Rádio Tupi que me salvou.

Em meio aos radialistas da Tupi se vangloriando de suas profissões quase em extinção, já que o rádio era uma das poucas mídias que estavam funcionando frente ao apagão, apenas suposições quanto ao ocorrido e previsões vagas sobre a volta da energia elétrica eram ditas. Os radialistas aumentavam o caos dos ouvintes anunciando que a água poderia também acabar, devido ao não funcionamento das turbinas, movidas por energia elétrica, e noticiando os engarrafamentos em torno do estado do Rio de Janeiro seguidos de arrastões com homens armados, como ocorreu na Av. Brasil. Como diria aquele funk antigo, “Tá dominado, ta tudo dominado”. A rádio também informou que 90% dos celulares Vivo estavam fora do ar, ou seja, “morreram”. Mas como quem é Vivo sempre aparece, eles voltaram a funcionar depois do apagão.

No meio de tantas notícias e suposições, engana-se quem achou que os anúncios publicitários sairiam de cena. As notícias foram interrompidas para a exibição de um comercial, claro, da Petrobrás. Pensei com os meus botões que uma inserção no meio daquele caos deveria ter saído uma fortuna. Será que a Tupi aproveitou o ocorrido para aumentar o preço do espaço publicitário? Será que nem no fim do mundo os publicitários vão descansar? Mas não serei injusta: mais tarde, teve um intervalo recheado de spots e jingles de vários anunciantes.

Depois do fim do apagão, liguei a tevê na Globo. E o “Jornal da Globo”, claro, foi uma espécie de especial do que aconteceu. Acho que a única matéria que fugiu deste assuntou foi a da blogueira cubana que foi espancada. Mas a Globo nada falou do arrastão que assolou a Av. Brasil, no Rio de Janeiro. Ah essa mania da Globo de omitir as coisas para prevenir o caos da população... ai, ai. Ou será que foi incompetência e falta de apuração sobre o ocorrido? Do que adianta ser “Sandra Passarinho” (repórter do Rio da Globo que cobriu o apagão), se não pode voar até a Av. Brasil e dar uma cobertura completa do que aconteceu?

Enfim, hoje acordei e a primeira coisa que fiz foi acessar os jornais online. Fui surpreendida por uma notícia do G1 que diz que foram DEZ estados com apagão, e não cinco, como foi noticiado pela rádio Tupi no dia anterior. Só nos resta esperar o pronunciamento às 17h na CNOS. Mas nada me faz desistir da idéia de que isso foi culpa dos Maias e que o apagão serviu para que eles se infiltrassem no nosso país sem deixar pistas.

6 comentários:

Pamella disse...

Olá Maya. Confesso que até eu fiquei MUITO assustada. Parecia até um filme de terror que vi acho que se chama "o dia em que a terra parou"
Fiquei chocada... rs

Muito obrigada pelo comentário no meu blog, um beijo!

Breiner77 disse...

Nossa, você assustou mesmo hein? hahhahaha...
Aqui deu uma piscadinha na luz, mas furnas nos salvou o/
Enfim, chegará a hora que não voltará mais heheehhe
Abraço..
Obrigdo pela visita
bjo

Rafael Poubel disse...

foi uma falha do governo mas tem a ver com 2012 sim, é um sinal de a luz ja esta acabando e isso é so o começo. na verdade acho q nao foi falha porra nenhuma, a eletricidade ta acabando mesmo, precisamos de outras fontes de energia, fontes alternativas como a energia solar. E vai acabar mesmo, assim como dizem q em vinte, trinta anos, o petróleio vai acabar

Rafael Poubel disse...

foi uma falha do governo mas tem a ver com 2012 sim, é um sinal de a luz ja esta acabando e isso é so o começo. Na verdade nao foi falha porra nenhuma, a eletricidade ta acabando mesmo,precisamos de outras fontes alternativas de energia, como a energia solar. E vai acabar mesmo, assim como dizem q em vinte, trinta anos, o petróleio vai acabar.

Márcia disse...

hum... aqui não teve apagão... mas oh, fiquei com inveja de você poder ver a barra da tijuca da sua janela! Meu sonho de consumo! O que consola é aqui nunca teve apagão :(... nem agora nem em 2001/2002 (não lembro o ano agora ehehe!)

Maya . disse...

Onde vc tá mesmo, Márcia? Eh mas a Barra é um sonho de consumo mto caro. Qto tempo vou aguentar a barra de morar na Barra, eu não sei =(.